Under user's 2007-2017 © Copyright only the texts signed by Karinna Alves Gulias - all rights reserved. I made sure all shared contents have their respective references; if you find any without, please let me know.

Search this blog

30 December 2010

ALGUMAS PERGUNTAS A UM HOMEM BOM

Bom. Para quê?
Você não é corrupto,
Mas o raio que destrói a casa
Também não é corrupto.

Você diz: jamais se desdiz.
Mas o que você diz?
Você é de boa fé
Declara a sua opinião
Mas qual opinião?

Você tem coragem
Contra quem?
Você é um artista
Repleto de sabedoria
Pleno de talento
Para quem?

Você não visa o próprio interesse
O interesse de quem, então?
Você é um bom amigo,
De boa gente?

Então, escuta:
Nós sabemos que você é o nosso inimigo.
Por isso vamos te encostar no paredão.
Mas, em consideração aos seus méritos
E às suas boas qualidades,
Num bom paredão.
E te fuzilar com boas balas
Disparadas por bons fuzis
E te enterrar
Com boa pá
Em terra boa.

Poema de Bertold Brecht
Tradução: Maria Alice Vergueiro / Catherine Hirsch

*Roubei este poema do blog Cantar a Pele de Lontra IV, do Claudio Daniel:
http://cantarapeledelontra.blogspot.com/

5 December 2010

Lançamento do meu livro pelo selo Orpheu










livro: "Terra dos nomes perdidos"
Selo Orpheu - Ed. Multifoco
>>>Clique na imagem para mais detalhes.

Wild Swans - Andersen’s tale

4 December 2010

Divisa de terras

O lago quando memoriza objetos indefinidos
Descobre a divisa dos mortos

O tempo dos cavalos que se extraviam
E pelas terras findam no horizonte

Ante o que vê sempre
Seus olhos sondam e caminham a extensão da pele
Com um fim
dentre-dentes

Na construção de uma tempestade:
Ou na
Estática nuvem mímica, aguda
À qual alcançam até as crianças: a festejar o enigma.

Perder a memória das poucas horas -
O medo de não caber no tempo


K.A.Gulias