Under user's 2007-2016 © Copyright only the texts signed by K.A. Gulias, Karinna Alves Gulias or Karinna A. Gulias - all rights reserved. I made sure all shared contents have their respective references; if you find any without, please let me know.

Search this blog

Loading...

16 August 2016

Disaster

In a world of poetry and poets
What is propriety if not cynicism,
Greatness if not fear?

We were born in a battlefield 
And all of us have lost

By and by we come to grips with loss of memory
In our endless growth.



By Karinna A. Gulias





Alejandra Pizarnik

Continuidad

No nombrar las cosas por sus nombres.
Las cosas tienen bordes dentados, vegetación lujuriosa.
Pero quién habla en la habitación llena de ojos.
Quién dentellea con una boca de papel.
Nombres que vienen, sombras con máscaras.
Cúrame del vacío -dije.

 (La luz se amaba en mi oscuridad.
Supe que ya no había cuando me encontré
Diciendo: soy yo.) Cúrame -dije.




Los trabajos y las noches

Para reconocer en la sed mi emblema
Para significar el único sueño
Para no sustentarme nunca de nuevo en el amor
He sido toda ofrenda
Un puro errar
De loba en el bosque
En la noche de los cuerpos
Para decir la palabra inocente.



Presencia

Tu voz
en este no poder salirse las cosas
de mi mirada
ellas me desposeen
hacen de mí un barco sobre un río de piedras
si no es tu voz
lluvia sola en mi silencio de fiebres
tú me desatas los ojos
y por favor
que me hables
siempre

27 July 2016

Some thoughts on interpretation and value 3 -- the reverence to our dead in bare soil

If not on rocks, then on concrete; we revere our dead ancestors. Our work, an imprint of our giant step.

So pure our memory, bare a land of many properties. Contrarily, if we pour libation on the ground, we offer language. If we offer language and a mother, then there must be no God. Humanity: realistic concept born to a breeding slave with no legs.

Who am I. Who are you.

Our present, spirituality from speculation. I : I – don’t know who I am. Mirroring to an eternal return; with no presence or gratitude.

What do we truly leave behind? I word you or prejudice.


By Karinna A. Gulias

Burial area at Calverton National Cemetery.

26 July 2016

Shhhhh ou Uma possível outra lírica

Shhhhh

O calor quebrou o vento
Ao redor de um poço

Um homem de areia
Se curva frente ao sol

O que é um deus
que abre um dia ou deita o céu

Um homem de areia
Se curva frente ao sol

Um homem assim se deita
Segura a sua face
Com dedos de areia
Quebrados com a seca

O achado de um homem, uma voz amiga
As vozes das paredes e cidades
Emudecidas em um nó pela água

Um homem de areia
Se curva frente ao sol
O que é um deus
que abre um dia ou deita o céu



Karinna A. Gulias

19 July 2016

I'm sorry

I'm sorry I have been away for so long. I usually post at least once a month and I intend to keep this way forward. Hopefully more frequently, but let's not promise what we may not be able to deliver. Thank you all for reading my blog.

Beautiful poem by René Char

Click on image to read all the four pages - it's well worth it

27 May 2016

Sexualidade como recato versus punição: os grilhões do patriarcado

É dever de uma sociedade que procura o respeito e a liberdade individual como base de sua democracia e civilização instituir o conhecimento e entendimento sobre cultura e sexualidade. Isso é tão importante quanto ensinar ética nas escolas e em casa. Nós adultos devemos discutir com os jovens sobre a sexualidade tanto feminina como masculina, sem distinções ou limitações com base moral religiosa-patriarcal. O recato/punição historicamente relacionado ao sexo, ou melhor à sexualidade, afeta negativamente não só as meninas/mulheres ao serem punidas por expressarem a sua sexualidade abertamente, mas afeta também os meninos/homens por não saberem lidar com a sexualidade sua e de outrem de maneira aberta, saudável e sem o tabu moral.




by Karinna A. Gulias

25 May 2016

Vulnerabilia

Now is
and is not

When dreams insinuate space
and there isn't enough time.
When dreams come out of hands,
empty. Wishing good days.
Forgetting words.

In time, it comes change...


Por que não há versação?

Em caminhos ensolarados, forço-me
ver uma estátua-momento.

Quando do tempo considera-se o tempo,
palavras nascem.



by Karinna A. Gulias

7 April 2016

It Happens that One Day

It happens that one day
where I was at
and the way I was


(...)
nor at the beginning
nor the beginning itself
(...)


Fragments from It Happens that One Day by Antonin Artaud; Translated by David Rattray

25 February 2016

Introdução a uma lírica

Em ombros de barro caminhei
Com a chuva se desmancharam
Caminhei, ainda caminhei
Com a chuva se desmancharam
Ainda caminhei

Se é verão, não sei dizer
Se é verão, não sei dizer
Queria mais é andar, andar, andar...

Se menestrel cantasse, eu ouviria
Como a um raio
No início de uma tormenta
Ah, eu ouviria

A feira de todas a guerras
A feira de todas carnes
Me dá alegria, pois é passageira
Uma ciranda passageira de vizinhos e estrangeiros
Gritam: eu sou! –
Como o mar e seus ombros de descaso e vigília



Karinna A. Gulias

16 December 2015

Quantas traduções há no tempo?

Uma pergunta
Retorno.
Vã.

Lá morrem todas as metáforas.

Se na quinta dimensão estão as boboletas
De um sonho;
Ou as letras de um livro;
Ou a sabedoria de um homem.

Assim fica a pergunta,
A mover o tempo.
De dentro pra fora
E de fora pra dentro.



Karinna A. Gulias

3 November 2015

Breve manifesto de uma liberação:

+ Uma mulher se perguntar: "o que é ser mulher?" para todas as respostas

+ Uma mulher nunca competir com outra mulher baseada na beleza; a não ser que essa seja a sua profissão.

+ Uma mulher promover igualdade entre os filhos; se tiver filhos.

+ Uma mulher deixar-se cantar e fuder ou não




Direct link: https://www.youtube.com/watch?v=CRFeEGy530A

6 October 2015

Coming out this week (download starting from Sunday)












I'm very happy to announce my book release date this week. There will be no social event, but the Kindle edition will be available on Amazon soon enough!

Update: Amazon will make my book available for download on the 11/10/15. But if you want you can pre-order it on Saturday 10th October, in the link below. Also, stay alert because I will soon be posting about some free promotions in the weeks to come.

The book display on Amazon still has some bugs to be fixed, but the book content is final. Please let me know if you find any problems. Thanks!

Karinna Alves Gulias


Pre-order on Amazon: http://www.amazon.com/dp/B016AMFHOA

Book cover design by Alberto Gordillo; Co-edited by Michael Gilbert

18 August 2015

The Seafarer, The Sea: She awes

Here is a sample of my new book:
With special thanks to Michael Gilbert, for co-editing my book. The final proof will be ready soon, this is just a teaser hehe.

A lua é mais / The moon is more

22 July 2015

Belo


Guri belo com pele de barro
Amontoado sobre a terra respirava tranquilo.

Humilde no andar
Buscava água no poço
Balançava os braços,
À procura de apressar o tempo.

Seu tempo de traduzir pássaros
Nos lábios turbulentos,
Criava buracos de minhocas ao redor.
Contornos de minhocas;
Tamanhos de minhocas.


Presente fosse ouvir.



Karinna A. Gulias